Lucas Cavalcante

Powered by WP Bannerize


Secretaria de Saúde debate fortalecimento das unidades de coleta de sangue em Mato Grosso

Fernanda Nazário/SES-MT

A Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso (SES-MT), por meio do MT Hemocentro, iniciou nesta terça-feira (17.10) o 3º Encontro da Hemorrede Pública de Mato Grosso. O evento segue até sexta-feira (20.10), no Auditório Liu Arruda, da sede do Tribunal de Contas do Estado, localizado no Centro Político Administrativo, em Cuiabá.

O objetivo do evento é fortalecer a política estadual do sangue sob a perspectiva de produção de conhecimentos e análise crítica dos processos de trabalho dos serviços hemoterápicos e assistenciais.

Participam do encontro cerca de 120 profissionais da saúde que atuam na Hemorrede do Estado. A Hemorrede é composta por 14 Unidades de Coletas e Transfusão (UCTs), 24 Agências Transfusionais (ATSs) distribuídas nas microrregiões de saúde, além do MT Hemocentro, que coordena a rede. Os locais dão suporte aos hospitais públicos do Estado que necessitam de bolsas de sangue durante procedimentos cirúrgicos e/ou tratamentos.

“Visamos estreitar ainda mais o trabalho desempenhado pelas 41 unidades de coletas de sangue no Estado, incluindo o MT Hemocentro. A meta é entender os gargalos das nossas UCTs e ATS, definir fluxos, traçar novos objetivos e aprimorar os serviços ofertados à população”, diz o secretário adjunto de Unidades Especializadas da SES, Luiz Antônio Ferreira.

Conforme a diretora do MT Hemocentro, Gian Carla Zanela, o principal beneficiado com o alinhamento dos trabalhos desempenhados pela Hemorrede é o usuário do Sistema Único de Saúde (SUS).

“Com uma rede estruturada, funcionando adequadamente e com os servidores desempenhando suas ações com qualidade e eficiência, o resultado é sentido na ponta, pelos pacientes, que contarão com estoque de bolsa de sangue suficiente para os tratamentos e cirurgias”, destaca Gian.

Durante a abertura oficial do evento, a gestora do Hemocentro do Ceará (Hemoce), Nágela Maria Lima de Oliveira, falou sobre a experiência da unidade, que é a maior do país.

“É gratificante para nós trazer um pouco da nossa experiência de como captamos doadores, poder explicar nossos indicadores e contribuir com o MT Hemocentro. Entendemos que o maior desafio da Hemorrede é manter o nosso estoque sempre dentro da margem de segurança transfusional e também fidelizar os nossos doadores, pois não é fácil trazer essa cultura da doação de sangue como hábito na vida das pessoas”, pontua Nágela.

Programação

No primeiro dia do encontro, foi discutida a emenda à Constituição nº 10 de 2022 (PEC 10/2022), que tramita no Senado Federal e visa permitir a comercialização do plasma humano.

Ainda nesta terça-feira, o grupo abordou outros temas, como o panorama da Hemorrede de Mato Grosso; a triagem clínica; a implementação do Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) nas Unidades de Coletas e Transfusão e Agências Transfusionais; o processamento e estoque de Hemocomponentes; o controle de qualidade na Hemoterapia e a qualidade no transporte de Hemocomponentes. Veja a programação completa neste link.

Participaram da abertura oficial do evento o representante do TCE, Carlos Brito; a assessora do Gabinete de Unidades Especializadas da SES, Larissa Souza Lima; o coordenador da Hemorrede, Fernando Modolo; o médico responsável técnico do MT Hemocentro, Wolney de Oliveira Taques, além das coordenadoras Técnica e Administrativa do MT Hemocentro, Susana Borges e Géssica de Burgo, respectivamente.

Fonte: www.secom.mt.gov.br


Powered by WP Bannerize


O que achou desta matéria? Dê sua nota!:

0 votes, 0 avg. rating

Compartilhar:

Escreva um comentário