Reprodução/Internet

Powered by WP Bannerize


Lideranças de direita já articulam eventual chapa entre Tarcísio e Michelle para 2026

Terra Brasil Notícias

Com o cenário político conturbado, especialmente após Jair Bolsonaro (PL) ter sido considerado inelegível pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), as lideranças de direita, incluindo o ex-presidente, estão especulando sobre os possíveis candidatos para a disputa presidencial de 2026.

Até o momento, o nome que tem sido considerado o mais viável é o de Tarcisio de Freitas, ex-ministro do governo federal durante a gestão de Bolsonaro e atual governador de São Paulo.

Além de estar no comando do maior estado econômico do Brasil, Tarcisio tem se destacado como a principal figura entre seus concorrentes. Caso Tarcisio mantenha seu prestígio e obtenha bons resultados políticos até as próximas eleições, já se discute a necessidade de escolher um vice para compor a chapa.

Entre os nomes que estão sendo cogitados, o da ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro desponta como o mais forte.

Além de ser esposa do ex-presidente, Michelle tem peso eleitoral por ser mulher, conquistando o apoio do público feminino. Ela também tem construído capital político próprio, especialmente após ganhar destaque em reuniões voltadas para questões femininas. Outro ponto a seu favor é o fato de pertencer ao PL, o que possibilitaria uma aliança com o Republicanos, evitando um cenário de “chapa pura”.

Michelle, no entanto, não é a única figura proeminente. Outro nome que está sendo avaliado, sondado e considerado para a disputa é Romeu Zema, do Partido Novo. Como governador de Minas Gerais, o terceiro maior colégio eleitoral do país e historicamente um estado decisivo nas eleições nacionais, Zema é um nome de peso que também pode ocupar um papel importante na chapa presidencial.

Uma terceira possibilidade gira em torno de Tereza Cristina, senadora do PP pelo Mato Grosso do Sul. A parlamentar é uma figura influente no setor do agronegócio e a principal representante desse segmento no Congresso. Ela conta com o apoio quase unânime das lideranças do agronegócio e é vista como uma figura centrada e alinhada às bandeiras liberais-conservadoras.

Embora outras personalidades possam surgir até 2026, esses três nomes são vistos como prioridades absolutas por já serem figuras conhecidas no campo da direita política e por possuírem capital político testado e aprovado pelo eleitorado.

Fonte: www.terrabrasilnoticias.com



O que achou desta matéria? Dê sua nota!:

0 votes, 0 avg. rating

Compartilhar:

Escreva um comentário