imprensa.secom@mcom.gov.br

Powered by WP Bannerize


Mais de 900 novas vagas formais de emprego foram geradas em outubro em Mato Grosso

Sec. Especial de Comunicação Social Gov. Brasil

O Mato Grosso gerou, em outubro, 911 novos postos formais de trabalho. Com o resultado, o estado acumulou, desde o início do ano, 70.071 empregos com carteira assinada. As informações são do Novo Cadastro Geral de Empregos e Desempregados (Novo Caged), divulgadas pelo Ministério do Trabalho e Previdência, na terça-feira (29).

 

No estado, os setores econômicos de Serviços e Comércio tiveram novas vagas criadas em outubro. A Região Centro-Oeste apresentou um saldo positivo de 8.409 novos empregos com carteira assinada em outubro. Depois do Distrito Federal, estão Mato Grosso do Sul (1.693), Goiás (1.010) e Mato Grosso (911). De janeiro a outubro, a região gerou 268.534 postos formais de trabalho.

 

Dados nacionais

 

O Brasil manteve, em outubro, a tendência positiva na geração de empregos e fechou o mês com um saldo de 159.454 novos postos formais de trabalho. Com isso, o país acumula, entre janeiro e outubro de 2022, um saldo de mais de 2,32 milhões (2.320.252) de novas vagas e se aproxima da marca de 43 milhões de postos formais registrados no Novo Caged (42.998.607), quebrando, assim, mais um recorde histórico.

 

O cadastro serve como base para a elaboração de estudos, pesquisas, projetos e programas ligados ao mercado de trabalho e, desta forma, subsidia a tomada de decisões para ações governamentais. Das 27 Unidades da Federação, 26 registraram saldo positivo na geração de empregos em outubro.

 

Setores

 

Em outubro, quatro dos cinco grandes grupamentos de atividades econômicas apresentaram saldo positivo. O maior crescimento do emprego formal foi registrado no setor de serviços, com saldo de 91.294 novos postos de trabalho formais.

 

Nesta área, o segmento de informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas foi o que apresentou maior saldo, com 49.260 novos postos.

 

O destaque ficou a locação de mão-de-obra temporária (11.063); serviços combinados de escritório e apoio administrativo (3.654); limpeza em prédios e em domicílios (3.245) e serviços de engenharia (3.022).

 

O segundo maior crescimento do emprego formal ocorreu no setor do comércio, com saldo positivo de 49.356 postos. Comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios – supermercados, com 6 mil vagas, foi o grande destaque, seguido do comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios, com 5.781 novos postos.

 

A indústria apresentou o terceiro maior saldo positivo, com 14.891 empregos, com destaque para o abate de aves (1.454), a coleta de resíduos não-perigosos (1.219) e a fabricação de produtos derivados do cacau e de chocolates (1.041).

 

Responsável pelo quarto maior saldo positivo, o setor da construção ofertou 5.348 postos, puxado pela demanda de serviços para instalação e manutenção elétrica (1.690).

 

Fonte: Ministério do Trabalho e Previdência

 

Secretaria Especial de Comunicação Social

Você conhece a Agência Brasil da EBC? Lá você encontra as últimas notícias do Brasil e do mundo, além de informações sobre políticas públicas e serviços prestados pelo Governo Federal. A Agência Brasil mantém o foco no cidadão e prima pela precisão e clareza das informações que transmite, optando sempre pelas fontes primárias. Por se tratar de uma agência pública, o conteúdo por ela disponibilizado pode ser utilizado, gratuitamente, por outras agências, TVs e rádios do Brasil e do mundo, inclusive por você! 

Fonte: imprensa.secom@mcom.gov.br



O que achou desta matéria? Dê sua nota!:

0 votes, 0 avg. rating

Compartilhar:

Escreva um comentário