Filipe Gimenes de Freitas

Powered by WP Bannerize


A solidão em nosso caminhar

Filipe Gimenes de Freitas

Não tenhamos dúvidas de que a solidão sempre nos oportunizará grandes aprendizados e valiosas respostas.
Quando for fruto de uma escolha para repensar a vida, a solidão pode ser uma preparação libertadora, como ocorreu com o Apóstolo Paulo, que ao se tornar cristão, optou por 3 anos de isolamento reflexivo que lhe proporcionaram uma força espiritual gigantesca.
Mas quando a solidão for fruto de uma carência nossa não correspondida pelos outros, precisaremos também repensar a vida, pois nesse caso a resposta que já recebemos do mundo necessitará de uma mudança drástica de conceitos e posturas.
Por isso, se não mais recebemos convites para desfrutar algum momento ao lado de alguém, façamos um balanço profundo do que precisamos mudar de dentro para fora, pois a solidão involuntária é um grande sinal de que não temos cativado relacionamentos sadios e prazerosos.
Há, ainda, o medo de ficar só, que ocorre quando nos recusamos a ficar cara a cara conosco mesmo, pois não somos uma companhia agradável nem para nós. Assim, tais momentos nos trarão sinais de que precisamos tirar todas as máscaras e aceitar nossas luzes e sombras.
Podemos citar a solidão presencial que acontece quando estamos rodeados de pessoas, mas nos sentimos sozinhos. Essa sensação de não-pertencimento nos invade quando não há conexão entre as pessoas. Então, precisamos ser mais transparentes no sentir e no falar.
Por isso, a solidão física ou emocional é uma abençoada oportunidade para um enfrentamento interior e reavaliação de nossas condutas diante da vida e com quem nos relacionamos.
No entanto, a solidão será proveitosa quando for vista como uma breve parada nas estações da vida. Assim, ela servirá como um momento de reconexão com o próprio eu, com o Divino e com as pessoas.
Portanto, paradas são necessárias, mas o bom viajante é aquele que sabe a hora de seguir viagem e embarcar novamente no trem da convivência.
(obs – sensações duradouras devem ser acompanhadas por profissional de saúde, pois a solidão pode ter inúmeras causas que devem ser analisadas individualmente)

Fonte: Filipe Gimenes de Freitas



O que achou desta matéria? Dê sua nota!:

0 votes, 0 avg. rating

Compartilhar:

Escreva um comentário